Nomofobia: medo de ficar sem o celular e a síndrome da bateria descarregada

August 2, 2019

Você vê isso nos rostos suados de companheiros de viagem nos portões de embarque do aeroporto – os olhares furtivos nas paredes e nos pilares, os falsos passeios casuais. Todos esses são sinais da mesma aflição – uma disfunção psicológica moderna conhecida como “aflição da baixa carga”

As vidas das pessoas estão ocorrendo cada vez mais em seus dispositivos. Todos os nossos contatos, mídias sociais, GPS, serviços de carro, pedidos de alimentos, jogos, entretenimento de vídeo, serviços bancários, calendários e fotos de família agora são mantidos em nossos dispositivos portáteis.

 

Cada vez mais, as relações modernas de todos os tipos estão sendo conduzidas on-line, e não pessoalmente, e uma bateria descarregada pode causar medo de perda ou isolamento.

Sem acesso contínuo a um telefone celular nos dias de hoje, as pessoas podem rapidamente ficar irracionais e desesperadas – elas “roubam” os cabos de carregador de outras pessoas e interagem nas empresas para fazer o plug-in imediatamente.

 

Nos filmes de terror modernos, uma bateria inoperante veio representar um precursor de coisas muito ruins que acontecem a um personagem. Isolar uma vítima tem sido o auge de filmes de terror clássicos, como o Psycho de 1960, o Massacre da Serra Elétrica de 1974, The Shining, lançado em 1980, até Get Out, em 2017.

 

O medo de ficar sem o celular chegou a receber um nome oficial – nomofobia.

A tecnologia de baterias de íons de lítio com a qual estamos confiando hoje foi desenvolvida durante a década de 1970 pelo químico inglês M. Stanley Whittingham, enquanto trabalhava na Exxon Corporation. O único avanço desde então tem sido as baterias de polímero de lítio. A distinção entre baterias de polímeros de lítio e de íons de lítio existe apenas no tipo de eletrólito usado.

 

O polímero de lítio utiliza um eletrólito polimérico sólido, como o poliacrilonitrilo e o material anódico de plástico. O íon de lítio utiliza sal de lítio, num solvente orgânico, como eletrólito. As baterias de íons de lítio têm uma tendência desagradável para superaquecer.

 

Há uma espécie de corrida armamentista entre fabricantes de baterias e fabricantes de celulares atualmente. Assim que os fabricantes de baterias adicionam mais capacidade, os fabricantes de celulares adicionam mais recursos que exigem muita energia.

 

                                                      LIDANDO COM A SÍNDROME

 

Os telefones celulares mais novos possuem recursos de carregamento sem fio incorporados. A indústria de carregamento sem fio se uniu ao padrão Qi (pronuncia-se CHEE). Utiliza um sistema de carregamento indutivo em distâncias de até 4 cm.

 

O sistema Qi usa um campo eletromagnético para passar uma carga entre bobinas de cobre, e os novos pads de carregamento sem fio podem carregar de 10w a 15w. Os fabricantes de celulares que estão incorporando o sistema em seus dispositivos incluem Apple, Asus, Google, HTC, Huawei, LG Electronics, Mobilidade da Motorola, Nokia, Samsung, Blackberry, Xiaomi e Sony.

 

Existem modelos de carregadores planos e verticais e lojas como Starbucks, McDonald’s, Costa Coffee e YO! Sushi oferece carregamento sem fio gratuito. As cadeias de hotéis Landham Hotels, Hotéis & Resorts Sheraton, Hotéis W, Hotéis e Resorts Four Seasons e as propriedades JW Marriott também oferecem recarga sem fio.

 

Para telefones mais antigos que não possuem carregamento sem fio integrado, você pode comprar um adaptador que se conecte à porta Micro USB, USB-C ou Lightning do seu telefone. O carregamento sem fio é mais lento do que o carregamento com fio e, se estiver usando um adaptador de terceiros, ele será mais lento ainda.

 

O sistema operacional Android Pie (SO) envia aos usuários uma notificação quando a bateria está fraca, em vez de exibir apenas a porcentagem de bateria restante. Com o iPhone X, a Apple removeu a porcentagem exata de bateria do lado do ícone da bateria na maioria das telas. Você pode ver a porcentagem da bateria no central de controle.

 

Ambos os sistemas operacionais oferecem um modo de baixo consumo de energia, que disca os sistemas do telefone em momentos de baixa carga.

 

                                                               A VANGUARDA

 

Em 2018, cientistas da Aston University, no Reino Unido, demonstraram um método para descarregar partes de aplicativos que consomem muita energia na nuvem, reduzindo o consumo de energia em impressionantes 60%.

 

A bateria de estado sólido está no horizonte, mas ainda não está pronta para o horário nobre. É uma alternativa mais segura e de maior capacidade às baterias de íons de lítio que usam eletrodos sólidos e um eletrólito sólido, em vez de eletrólitos líquidos ou poliméricos usados em baterias de íons de lítio ou polímeros de lítio.

 

O resultado é que os fabricantes de telefones celulares poderiam fabricar dispositivos menos chamativos que teriam mais vida útil da bateria. Em vez disso, eles estão produzindo dispositivos cada vez mais inovadores e atraentes que consomem energia, mas que também nos levam à loja.

 

Texto: Ademilson Ramos

Site: https://engenhariae.com.br/editorial/ciencia/nomofobia-medo-de-ficar-sem-o-celular-e-a-sindrome-da-bateria-descarregada

Foto: Divulgação                        

 

 

Share on Facebook
Please reload

Posts Em Destaque

Presidente da AEAS participa de reunião do Colégio de Entidades Regionais

October 15, 2019

1/4
Please reload

Posts Recentes

December 6, 2019

Please reload

Arquivo